Iconografia
Conheça itens do acervo do Centro de Estudos FamilyD. Mapas, esculturas, reproduções: por aqui você conhecerá um pouco da nossa coleção orientalista e saberá como essas peças ajudam a contar parte da história do Líbano, do Oriente Médio, sua cultura ou a forma como eram vistos pelos ocidentais. Confira.
 Localizar     



Império Turco - Mapa de Jodocus Hondius, 1610
Acervo digital

Impressionante exemplo de mapa do Império Turco, mostrando os territórios otomanos nos Balcãs, Anatólia, Arábia e África do Norte. O mapa foi publicado em 1610 por Jodocus Hondius.

Pintado à mão, o mapa taz ainda um retrato do sultão otomano Mehmed II ou Mehmet II, também conhecido como o Conquistador.

Mehmed II ganhou notoriedade ao capturar Constantinopla em 1453 (durante o conhecido Cerco de Constantinopla), e outras cidades Bizantinas da Anatólia (parte do atual território da Turquia) e dos Bálcãs. A invasão de Constantinopla e campanhas bem sucedidas contra pequenas monarquias conferiram-lhe respeito por parte das outras potências, passando o estado de Otomano a ser reconhecido como um império pela primeira vez.


Sobre o Império Turco-Otomano
O Império começou a nascer no século 11, quando tribos turcas nômades se fixaram na Anatólia, região que hoje é parte da Turquia. Tais tribos ajudaram a difundir a religião muçulmana em terras que até então estavam sob o domínio de outro império, o Bizantino. “O termo otomano deriva do nome Osman, ou, em árabe, Uthman”, diz o historiador inglês Malcolm Yapp, da Universidade de Londres. Osman, ou Otman I (1258-1324), foi um chefe turco que transformou essas tribos nômades em uma dinastia imperial. Durante os séculos 15 e 16, o Império Otomano tornou-se um dos estados mais fortes do mundo, englobando boa parte do Oriente Médio, do Leste Europeu e do norte da África.

Foi nessa época do apogeu do império que os turco-otomanos conquistaram o Líbano, em 1516, e fizeram do país parte do Império Otomano, que desapareceu depois da derrota da Turquia na Primeira Guerra Mundial, ou seja, foram quatro séculos sob domínio. Só então a Liga das Nações colocou o Líbano sob domínio temporário dos franceses, que prometeram independência total em 1941, mas só a concederam efetivamente em 1943. As tropas francesas se retiraram em 1946.

Neste mapa, de 1610, já é possível ver o território Libanês (assim como de grande parte do continente) e cidades como Tyro, Tripoli e Sidon como parte do Império Otomano.

Sobre o autor
Jodocus Hondius nasceu em 1563, na Bélgica. Morou em Londres, onde trabalhou com diversos editores e cartógrafos e expandiu seu conhecimento em geografia e cartografia. De lá mudou-se para Amsterdã, onde estudou matemática e continuou dedicando-se à cartografia.


Em 1578 Gerardus Mercator publicou um atlas com base em vinte e oito mapas de Ptolomeu. Mercator queria uma representação do mundo antigo. Em 1595 ele publicou seuatlas vigente com mapas já bem conhecidos. Hondius comprou as placas de ambos os atlas . Alguns meses mais tarde, uma reedição do atlas Ptolemaeus de Mercator foi publicada.

Em 1606 Hondius melhorou o já reconhecido Mercator Atlas, publicado originalmente em 1595. Ele publicou uma versão aumentada com trinta e seis novos mapas, incluindo vários que ele mesmo havia produzido. Apesar de suas próprias contribuições, Hondius deu todo o crédito a Mercator como o autor do trabalho, listando-se como o editor. O atlas é conhecido sob o nome de Atlas Mercator-Hondius. Foi o primeiro atlas completo: todos os continentes conhecidos, regiões, mares e oceanos estavam representados, com base nas novas descobertas de exploradores. A demanda por este atlas foi enorme; foram produzidas muitas edições seguidas, começando em 1607 e 1608.

Jodocus Hondius era um empresário astuto. Ele verificou que atlas menores eram mais baratos e mais fáceis de usar. Por isso, publicou pequenos atlas, e produziu em muitas línguas diferentes. Ao todo, a partir de 1606 em diante, cerca de cinquenta edições foram publicadas nos principais idiomas europeus, e, como resultado do sucesso do Atlas Mercator-Hondius, Amsterdam alcançou o status de principal centro de cartografia até o final do século XVII.

Em 1611 publicou um outro mapa do mundo, mas em seus últimos anos estava ocupado com a liderança do seu negócio, incluindo negociações com comerciantes e várias correspondências; ele havia se tornado muito ocupado para produzir mais mapas

Jodocus Hondius morreu em 1612. O trabalho da editora foi continuado por sua viúva e dois filhos, Jodocus II e Henricus, e mais tarde ainda em parceria com Jan Jansson, cujo nome aparece no Atlas Mercator-Hondius como co-editor de 1633.

Mapa à venda no site: http://www.raremaps.com/gallery/detail/41528/Turcici_Imperii_Imago_shows_Cyprus/Hondius.html



voltar

Política de privacidade. ©2014. Criação FamilySites.com.br