Iconografia
Conheça itens do acervo do Centro de Estudos FamilyD. Mapas, esculturas, reproduções: por aqui você conhecerá um pouco da nossa coleção orientalista e saberá como essas peças ajudam a contar parte da história do Líbano, do Oriente Médio, sua cultura ou a forma como eram vistos pelos ocidentais. Confira.
 Localizar     



Galileia, o Líbano, as passagens bíblicas do nascimento e vida de Jesus
Acervo digital

O nascimento de Cristo, uma das comemorações cristãs, nos traz elementos também para pensar na geografia e história da região, também considerada “Terra Santa”.

Há diversos mapas sobre a região da Galileia e Judeia, que eram as principais regiões do que hoje é o Estado de Israel (no tempo de Cristo, a Palestina, província romana). A Galileia fica ao norte, entre o mar Mediterrâneo e o Mar da Galileia, enquanto a Judeia, mais ao centro. Segundo textos bíblicos, José e Maria saíram de Nazaré, na Galileia, para participar de um censo em Belém e Jesus nasceu no caminho, em uma manjedoura.

Entretanto, retornam depois para Nazaré, na Galileia, aonde Jesus passou a maior parte sua vida.

Este mapa de Sebastian Münster, do século XVI, traz informações e ilustrações ricas sobre a região (tanto Judeia, Galileia, como o Lìbano, então território Fenício).

Destacaremos aqui aqui algumas passagens bíblicas de regiões destacadas no mapa.


Na região da Galileia, Jesus pregou o Sermão da Montanha (Mt. 57); curou um leproso (Mt. 8:14); e escolheu, ordenou e enviou os Doze Apóstolos a pregar, sendo que aparentemente apenas Judas Iscariotes não era originário da Galiléia (Mc. 3:1319). Também nessa região, Cristo ressuscitado apareceu aos Apóstolos (Mt. 28:1620).

O Mar da Galiléia ou lago de Genesaré é um extenso lago de água doce, fronteira entre Israel, Cisjordânia e Jordânia, com comprimento máximo de cerca de 19 km e largura máxima de cerca de 13 km. Também foi chamado de mar de Tiberíades. Jesus entrou no barco de Pedro para ensinar (Mt. 5:13) e chamou Pedro, André, Tiago e João para que se tornassem pescadores de homens (Mt. 4:1822). Ele também acalmou a tempestade (Mateus 8:23-27), ensinou parábolas de um barco (Mt. 13), andou sobre o mar (Mt. 14:2232), e apareceu aos discípulos após Sua ressurreição (João 21).
Ainda na região, merece destaque a cidade de Betsaida, aonde nasceram Pedro, André e Filipe (João 1:44). Jesus retirou-se com os Apóstolos para perto de Betsaida. As multidões seguiram-No e Ele alimentou os 5.000 (Lc. 9:1017; João 6:114). Jesus curou um cego nessa cidade (Mc. 8:2226).

Já Cafarnaum era a casa de Pedro (Mt. 8:5, 14). Em Cafarnaum, que Mateus dizia ser a “cidade de Jesus”, este curou um paralítico (Mt. 9:17; Mc. 2:112), curou o servo de um centurião, curou a mãe da esposa de Pedro (Mt. 8:515), chamou Mateus como um de seus Apóstolos (Mt. 9:9), curou cegos, expulsou um demônio (Mt. 9:2733), curou a mão mirrada de um homem no sábado (Mt. 12:913), pregou o sermão do pão da vida (João 6:2265) e concordou em pagar impostos, dizendo a Pedro que tirasse o dinheiro da boca de um peixe (Mt. 17:2427).
Outro lugar que merece destaque na Galileia é Caná , onde Jesus transformou a água em vinho (João 2:111) e curou o filho de um nobre que estava em Cafarnaum (João 4:4654). Caná foi também o lar de Natanael (João 21:2).
Em por fim, ainda na Galileia, Nazaré, aonde ocorreram as anunciações a Maria e a José (Mt. 1:1825; Lc. 1:2638; 2:45). Depois de voltar do Egito, Jesus passou sua infância e juventude nessa cidade (Mt. 2:1923; Lc. 2:5152), anunciou que Ele era o Messias e foi rejeitado pelos seus (Lc. 4:1432).

Além da Galileia, o mapa do século XVI traz ainda cidades libanesas (na época, Fenícias) que também estão registradas na Bíblia, como Sidom e Tiro. Jesus curou a filha de uma mulher cananéia, descendente de Cananeus que Josué expulsou da terra Prometida, cujos descendentes ficaram concentrados em Tiro. Há diversas outras passagens bíblicas sobre cidades libanesas, mas em especial no Natal é importante entendermos a proximidade entre as cidades e a origem do cristianismo até para reforçar a importância de preservar esses sítios históricos e a região que tanto vem sofrendo com sucessivas guerras e confrontos seculares.

Sobre o mapa:
Um dos primeiros mapas modernos da Terra Santa.

O mapa se estende de Sidon, terra dos fenícios no norte à Gaza, no sul, com numerosos locais bíblicos e um número de vinhetas. A inserção é uma chave de antigo e moderno placenames. Este mapa é orientado com oeste no topo e é baseado em mapas anteriores de Munster e Ziegler. Após a edição de 1542, o título foi alterado para XXIII.

Geographia de Munster foi um marco cartográfico, incluindo não somente mapas de Ptolemeu, mas também um número de mapas modernos importantes. Munster dominou a publicação cartográfica durante meados do século XVI. Munster é geralmente considerado como um dos três mais importantes fabricantes de mapas do século XVI, juntamente com Ortelius e Mercator. Munster foi um lingüista e matemático, que inicialmente ensinou hebraico em Heidelberg. Ele emitiu seu primeiro mapeamento da Alemanha em 1529, após o que ele produzir uma chamada informações geográficas sobre a Alemanha para estudiosos em todo o país. A resposta foi melhor do que se esperava, e incluiu material estrangeiro substancial, que lhe forneceu mapas atualizados para a emissão de sua obra mais importante: Geographia, de 1540.

Acervo do site Rare Maps, disponível para venda no site: http://www.raremaps.com/gallery/detail/49502/Terra_Sancta_XXIII_Nova_Tabula/M%C3%BCnster.html




voltar

Política de privacidade. ©2014. Criação FamilySites.com.br